Ganhe cultura

Universidade de Coimbra e a latada! A festa dos caloiros toma conta da cidade

9 de outubro de 2017

Na Universidade de Coimbra, a última semana foi dedicada à latada. A tradição é tão forte que mesmo que não tivesse sido feriado da independência na última quinta-feira, dia 5, o seria para os alunos de licenciatura. No domingo, as ruas da alta viraram carnaval. Os caloiros (por aqui é assim, e não calouros) fantasiados comemoravam, riam e bebiam! O cortejo saiu da Praça Dom Dinis, perto do Paço das Escolas, e seguiu até a Portagem.

É tão bonito ver uma cidade que respira estudo e dá a devida importância a isso. Os senhores e senhoras coimbrenses saíram de suas casas, pegaram seus banquinhos e esperaram os jovens futuros doutores passarem! A vida é feita de responsabilidade e de festa! Uma universidade que dá valor às comemorações desse tipo mostra o real significado de que vale a pena. Vale passar para Coimbra, considerada a melhor da Europa, vale a pena cada segundo que se está em sala de aula, vale a pena todas – e digo todas sem exceção – as pessoas que conhece e vale chegar ao final… lá quando se está prestes a receber o diploma, e levar um nabo gigante para a latada!

Continue lendo “Universidade de Coimbra e a latada! A festa dos caloiros toma conta da cidade”

Crônicas da caixola

Meta e desejo [por Jaqueline Moraes]

27 de setembro de 2017

Foi então que ele entrou na minha vida.

Precisei ir ao toalete, meio tonta, não sabia muito a diferença entre reta e curva. Pior, todos viam que eu não sabia. Tinha uma fila meio chata que me fez parar no meio do caminho, uma visão que não me agradava. E a bexiga pulsando.

– Não perca as esperanças. – uma voz masculina.

Esperanças? Para o momento atual aquela frase não poderia ser melhor. Afinal, onde estava Tom naquela hora? Estaria pensando em mim ou… com outra? Coisas de mulher.

Eu me virei e olhei para ele com um sorriso maroto. O cara me despertou uma sensação de céu. Fitei-o com firmeza.

– Mais um Black Jack? – ele.

– Você não tem nada mais forte?

– Assim você me deixa sem graça.

– Foi você que começou. Continue lendo “Meta e desejo [por Jaqueline Moraes]”

Ganhe cultura

O rei da brincadeira: alemão constrói com peças de Lego Catedral de Colônia

17 de setembro de 2017

Um milhão de peças de Lego representam a Catedral de Colônia, na Alemanha, numa brincadeira que parece ser de criança. Mas foi com 23 anos que Jürgen Bramigk começou mesmo a se divertir. À época, em 1993, o alemão nem sonhava em se tornar uma referência mundial na montagem de peças, fazer crescer o imaginário também dos adultos nem de construir representações que deixam todos boquiabertos.

Na Coimbra Fan Event – For LEGO Lovers, que acontece no Estádio da Cidade até o dia 24 de setembro, os curiosos que passaram pela exposição nos dois primeiros dias foram surpreendidos em vê-lo em plena atividade. O inusitado aconteceu: na última quarta-feira, 13, quando desembarcou em Lisboa, viu dois caixotes com seus materiais partidos. Mas a equipe estava à postos. Jürgen e mais quatro, todos portugueses, começaram o retrabalho às onze horas da noite do mesmo dia de chegada.

Com esforço conjunto conseguiram terminar e garantir aos visitantes ótimas fotos. O que mais o encanta? “Construir tudo o que quiser”. Seu próximo desafio é a Sagrada Família, o grande templo em Barcelona, que nem sequer foi terminado tamanha sua grandiosidade e riqueza de detalhes – ok, teve uma guerra no meio da construção que suspendeu os trabalhos por 40 anos. Continue lendo “O rei da brincadeira: alemão constrói com peças de Lego Catedral de Colônia”

Crônicas da caixola

Enternecida

14 de setembro de 2017

Que se perpetue

Que viva nos quilombos silenciados das novas gerações

Nas cortes dos menos

Corteses que ainda têm corações

 

Que o soar do nosso pensamento

Ecoe com sotaque

Que garanta a liberdade de falar

Como se quer

Continue lendo “Enternecida”

Ganhe cultura

Figueira da Foz além da praia: cidade guarda histórias sobre Inquisição e Napoleão

10 de setembro de 2017

O principal lugar de praia do distrito de Coimbra é Figueira da Foz. São 12 quilômetros de areia que nos levam a 14 praias. Indo de comboio da Estação Nova, depois de cerca de 40 minutos estará na cidade. Saindo da estação, deve-se andar um pouco, em direção ao mar, para chegar na Praia do Relógio. A extensão da areia é algo incrível! Tanto que há decks que nos levam à beira mar. E mais ainda: campos onde se jogam futebol.

A cidade sempre está em festa. A primeira impressão se concretizou com o tempo. Na primeira vez que fui, um grupo de dança ensaiava enquanto passava-se o som num palco pertinho do Forte de Santa Catarina – aliás, ali é cenário de filme.

Continue lendo “Figueira da Foz além da praia: cidade guarda histórias sobre Inquisição e Napoleão”

Põe na mesa

Dom Espeto: tradição portuguesa em Coimbra

25 de agosto de 2017

Na primeira vez que fui ao Dom Espeto fugi do tradicional e pedi um peru ao molho de vinho. Advinha o que acompanhava? Pois, batatas. E cozidas. Uma delícia já que estavam regadas a azeite.

Mas eu merecia voltar para comer o carro-chefe da casa: os espetos.

Justo. Escolhi um dos preferidos dos clientes, o que combina gambas com lulas. Tem também o que vem com porco, tamboril, milho. E aí sim os acompanhamentos são de lamber os beiços. Tem arroz com passas, arroz de feijão – é um arroz misturado com feijão, com caldinho e caroço – migas, legumes e verduras – cenoura, brócolis e couve-flor, molho tipo vinagrete – só faltava estar mais picadinho a cebola e o pimentão – e, claaarooo, batatas cozidas.
Continue lendo “Dom Espeto: tradição portuguesa em Coimbra”

Põe na mesa

Chef Raphael Marques imprime seu ritmo nos restaurantes Duo e Duo Trattoria, no Rio

17 de agosto de 2017

Assim que Raphael Marques voltou ao Brasil passou pela prova de fogo com Nicola Giorgio (ex-Fasano). O restaurateur italiano com 34 anos de experiência não analisa currículo, pede para os candidatos preparem massa com molho de tomate. O ponto certo de cozimento é um dos fatores decisivos. O atual chef executivo do grupo gastronômico que Nicola comanda ao lado de Dionísio Chaves foi contrato em tempo recorde. “Cheguei da Califórnia e fui conversar com eles num sábado. Na segunda eu comecei a trabalhar”, conta o carioca da gema.

O chef lembra an passant que montou um prato de frutos do mar. Aprovado! Tanto que esteve à frente de quatro dos cinco restaurantes da dupla. Em 2011, depois de uma jornada de seis anos na Califórnia, nos Estados Unidos, auxiliou na inauguração do Bottega del Vino e encarou dupla jornada no Duo Restaurante, o primeiro empreendimento dos sócios.

Hoje, comanda as cozinhas dos italianos Duo e Duo Trattoria, ambos na Barra da Tijuca. Quem vê Raphael íntimo da gastronomia do país da bota não imagina sua paixão pelos peixes nem pela forma de preparo com as mãos. A influência do Nobu, restaurante japonês referência no mundo em que ele trabalhou na filial de Malibu, é direta. Continue lendo “Chef Raphael Marques imprime seu ritmo nos restaurantes Duo e Duo Trattoria, no Rio”

Crônicas da caixola

A/C Rio de Janeiro

31 de julho de 2017

Ir embora não é fácil. Mas, no meu momento, mais difícil seria ficar. Tenho exatos sete dias para me despedir. Você me deu lugares e me apresentou pessoas impossíveis de esquecer.

Mas, a gente diz ‘tchau’ o tempo todo mesmo, não é?! Só que não percebe.

Penso em locais que ganharam um pouco de mim e eu tenho a obrigação e o prazer de ir lá agradecer.

Obrigada por ter me emprestado tantas vezes o Arpoador. Aqueles quarteirões que o cercam guardam poesias, agonias, novidades e felicidades. Foram cúmplices e por vezes observadores da minha vida. Sofri, vi, vivi, amanheci e bati palma para os pores do sol. Continue lendo “A/C Rio de Janeiro”

Crônicas da caixola

Cantando coisas de amor

24 de julho de 2017

Parei e vi a vida passar. Como quem não quer nada. E daquelas que ouvem tudo.

Como que vai ser quando ela voltar da Alemanha? Será que volta? E ela esquecer o pandeiro que carrega à tira colo nos últimos carnavais? Eu só via  a banda passar.

Ele cantava coisas de amor. Mas muito, tanto que ela enjoou. A passada por Londres tempos antes foram fundamentais. Fez poesia em cada pint que bebia. Dobrava o pedido a cada olhar que dava. Difícil acompanhar a comanda. E ele ouriçado com cada capítulo de Tieta.

As Diretas chegaram por aqui. Nem viu o tempo passar naquele quarto escuro. Foram meses sem jornal nem notícias relevantes. Tinha vez que só se escutava o miado do gado e a goteira da chuva lá fora. Confundira os tempos.

Trocara o dia pela noite. Não sabia mais a quantas andava Brasília, quanto mais a política do Brexit.

Rainha Elizabeth benzia o quarto neto e comemorava o réveillon na Rússia. Um incêndio assolou Portugal e fez a Espanha ceder bombeiros, médicos, carpinteiros, taxistas, todas as mãos de obra que viam pela frente. A Itália entrou em guerra com a Grécia e foi a Escócia que apartou a briga. Continue lendo “Cantando coisas de amor”

Põe na mesa

Café coado em casa: confira 10 dicas que fazem toda a diferença

3 de julho de 2017

Há pouco tempo estive em São Lourenço, Minas Gerais, e claro dei um pulo na Unique Cafés. A cafeteria, considerada uma das melhores do país, fica no calcadão principal da cidade, próximo ao Parque das Águas.

A casa oferece vários tipos de cafés, como o frutado, orgânico e descafeinado. Além das máquinas do expresso, os atendentes preparam na frente dos fregueses o café coado. O cheiro é inconfundível!

Por isso, peguei dicas infalíveis com o barista Gabriel Guimarães. Veja só: Continue lendo “Café coado em casa: confira 10 dicas que fazem toda a diferença”